Notícias
06
Mar
2018
Tarifas de energia atingiram patamar ‘preocupante’, diz diretor-geral da Aneel

Tarifas de energia atingiram patamar ‘preocupante’, diz diretor-geral da Aneel

Romeu Rufino culpa subsídios por escalada de preços no setor.

BRASÍLIA O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, disse nesta terça-feira que as tarifas de energia elétrica no Brasil têm subido a níveis preocupantes. Para ele, as autoridades do setor precisam encontrar saídas para conter a escalada nos preços.

Realmente, o valor da tarifa está atingindo um patamar muito preocupante. Isso impacta toda a indústria. A gente precisa discutir isso de maneira mais efetiva disse Rufino, durante a reunião da diretoria colegiada do órgão.

A fala do diretor-geral da Aneel foi feita no mesmo dia em que a própria agência propôs um aumento médio de 25,8% nas contas da Cemig, que atende o estado de Minas Gerais, e é a maior distribuidora de eletricidade em número de clientes do país. A proposta ainda passará por consulta pública antes de entrar em vigor.

Para o Rio, os reajustes anuais da Light e da Enel (antiga Ampla) serão feitos neste mês e a expectativa é os aumentos que ultrapassem 15%.

Todos nós não podemos ser indiferentes a isso, tem que estar na pauta. Porque bateu, na minha compreensão, também no limite da capacidade de pagamento do consumidor. Alguma coisa precisa ser feita acrescentou.

Segundo Rufino, o que tem pesado mais sobre os consumidores é o custo de subsídios nas políticas do setor elétrico, que são bancados com a cobrança de encargos nas tarifas. Os consumidores de energia pagarão R$ 16 bilhões nas contas de luz em 2018 para cobrir os custos com subsídios e programas sociais garantidos pelo governo no setor elétrico.

Em 2017, os subsídios pagos somaram R$ 13,038 bilhões. Ou seja, houve uma alta de 22% de um ano para o outro. A inflação medida IPCA fechou 2017 em 2,95%.

Todo o esforço que (a distribuidora) faz na melhoria da eficiência e na melhoria da prestação do serviço é neutralizado pelo crescimento do conjunto de subsídios. Essa é uma realidade que o setor elétrico precisa discutir disse Rufino.

MANOEL VENTURA - 06/03/2018 16:15 - Agência O Globo

Comente essa publicação